Após Prefeitura de Propriá admitir sobre demissão de funcionários, populares falam em decepção

0
99

Propriá/SE – Causou impacto social e deixou a classe de empresários, comerciantes e feirantes de orelha em pé o fato da Prefeitura Municipal admitir que haverá demissão de funcionários até o número de 30% por cada pasta. O Prefeito já teria se reunido com secretários colocando a situação afirmando a frase: “Nossa situação financeira não é boa […], as demissões são necessárias”, assim relatou a fonte.

Diante da informação da demissões, surgiu a preocupação em saber como deve se comportar a situação nos próximos dias. Gente desempregada é falta de pão na mesa, atraso de aluguel, água, luz, etc. A economia fica menos aquecida e os atrasos em carteira aumentam. Como fica os empréstimos realizados a longo prazo nas instituições bancárias, como argumenta um comerciante local.

“Eu sou um dos que serão demitidos. Já tive a informação. Para mim é uma decepção e a cada dia me arrependo de não ter ido embora de Propriá quando era mais jovem. Aqui só quem tem vez é quem tem padrinho político, infelizmente, não é o meu caso. Não sei como vou ficar e meus filhos também não trabalham. É triste morar em Propriá”, é o que diz um pai de família que será levado pelo ato da demissões.

O que a coragem não tem cara para dizer é que houve um grande erro de planejamento por parte da administração atual de Dr. Valberto que não mensurou a elasticidade de tempo obtendo as condições de que seria insustentável o inchaço da máquina pública admitindo gente demais ao quadro gerando expectativas. Essa linha de erros é recorrente desde o início da gestão.

A situação pode também desencadear doenças psicológicas, como ansiedade e depressão e vícios como álcool e outras drogas em razão da ociosidade.

Por Adeval Marques